O GIGANTE VAI VOLTAR


As manifestações que ocorreram com grande intensidade no ano passado e início deste ano em todo o país serão lembradas este ano no 20º Grito dos Excluídos, evento que ocorre em todo feriado de 7 de Setembro e é organizado por movimentos sociais e pelas pastorais católicas. Este ano, o lema do Grito dos Excluídos é “Ocupar ruas e praças por liberdades e direitos”.
Segundo dom Pedro Luiz Stringhini, bispo da Diocese de Mogi das Cruzes (SP), o lema deste ano lembra os protestos ocorridos em 2013. “Esses atos trouxeram de volta a importância de o povo se manifestar. Elas foram prejudicadas por grupos violentos que entraram para atrapalhar, mas isso não significa que o povo não deve se manifestar. E ele deve se manifestar nas ruas, nas eleições e, sobretudo, no dia a dia, nas associações de bairro, por exemplo, que é também a forma mais difícil porque exige mais perseverança”.
Na capital paulista, o ato terá início às 9h com uma missa que será celebrada na Catedral da Sé, seguida por uma caminhada até o Parque da Independência, no Ipiranga. Segundo Rosilene Wansetto, da Coordenação Nacional do Grito dos Excluídos, o evento é celebrado em mais de mil cidades de todo o país.
“Temos que ocupar os espaços, as praças e, principalmente, as ruas. A rua é o lugar onde o povo deve estar e que nunca poderia ter deixado após as manifestações de junho”, falou Débora Maria da Silva, coordenadora do Movimento Mães de Maio.
De acordo com Rosilene, o grito pretende estimular a volta das pessoas às ruas, apesar de várias cidades terem reprimido as manifestações. “A repressão e a violência por parte do Estado nos fazem recuar e foi o que ocorreu durante a Copa do Mundo. Muita gente foi presa e sofreu com a repressão policial. Mas a rua é nossa, a rua é do povo. É onde fazemos política”, disse.
Para ela, as grandes mudanças no país são feitas não pelo voto, mas pelas ruas. “O voto acaba sendo uma ferramenta importante, mas a mudança realmente acontece nas ruas, do grito que está nas ruas”, ressaltou.
Paralelamente ao Grito dos Excluídos será realizada a 27ª Romaria dos Trabalhadores e das Trabalhadoras, que tem como lema “Mãe negra Aparecida, padroeira deste chão, o povo trabalhador não aceita escravidão”, que é promovida pela Pastoral Operária, com o apoio do Serviço Pastoral do Migrante. O evento terá início às 7h, com uma caminhada que sairá do Porto Itaguaçu, em Aparecida (SP), com destino ao Santuário de Aparecida.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s